2.7 C
Berlim
Segunda-feira, Dezembro 5, 2022

Ninguém – The Turnaround in review: Quão boa é realmente a simulação de vida mais desejada do Steam?

Follow US

80FãsCurtir
908SeguidoresSeguir
53SeguidoresSeguir

Um dia glorioso com mais de 80.000 jogadores é seguido de caos: O sombrio clone dos Sims O Turnaround já não pode ser comprado. Testamo-lo de qualquer forma.

A razão para isto são relatos de que Ninguém – O Turnaround aparentemente não funciona em sistemas Windows mais antigos. (Uma solução já está em obras). Mas esse não parece ser o único problema: Com apenas 65 por cento positivos (Críticas de equipa)um terço de todos os jogadores actualmente classificam Ninguém – The Turnaround negativamente.O que é que se passa? Em que é que está a falhar? Será a crítica sequer justificada? Mergulhámos na selva urbana chinesa para descobrir que para si


Hora 1: Que inferno de sobrevivência!

O jogo começa com a campanha: 30 dias. É o tempo todo que temos de pagar os 10.000 yuan em dívida do nosso pai fugitivo a agiotas perigosos. Se falharmos o prazo, eles raptam a nossa irmã.

O autocarro deixa-nos no centro de emprego. O primeiro dia na grande cidade chinesa é uma dura bofetada na cara: O nosso personagem estraga um teste de entrada para a educação superior, encontra um emprego num estaleiro de construção, escraviza como um idiota e depois recebe parte do seu salário deduzido porque o supervisor é um valentão. Quando se queixa, também é espancado. À noite, o nojento agiota exige o primeiro pagamento.

Cansado, deprimido e desesperado, o personagem arrasta-se para a sala partilhada de um flophouse. Infelizmente, era só isso que havia. A miséria que o rodeia dá-lhe a última gargalhada. Sem o nosso controlo, ele sai, bebe o último do seu dinheiro e acorda na manhã seguinte no tanque da polícia bêbado. 29 dias para ir.

Nobody – A reviravolta tem mantido a sua promessa: A simulação é impiedosa e não perdoa quaisquer erros. Além disso, parece muito autêntico e credível: aqui um crítico de mercado chama, ali um músico de rua toca, ali uma slot machine apita – com a sua óptica sombreada, a sua língua chinesa original e dezenas de detalhes, temos de e queremos encontrar o nosso caminho à volta deste mundo estrangeiro por duas vezes. Em qualquer caso, apostar dinheiro no xadrez chinês sem sequer conhecer as regras não é uma boa ideia no início.

Hora 2: A miséria aterroriza e fascina

Todos os dias é: Quem ganha, você ou a cidade? As chaves do sucesso em Nobody – The Turnaround são a organização, a disciplina, a curiosidade e a esperteza. Com um olho constante no relógio e no dinheiro, deve sempre verificar e manter o humor, a fome e a higiene do seu personagem.

Quer trabalhe como trabalhador da construção civil, segurança ou cozinheiro, o trabalho pode ser concluído manualmente como um mini-jogo (para bónus) ou com um cutscene automático. Mas isso não é suficiente para sair da roda do hamster e subir na sociedade.

Por isso, é aconselhável explorar e testar todas as opções. Por exemplo, se se der bem com o colector de sucata, já não tem de apanhar cada pedaço de lixo no chão e sujar-se, mas pode ir directamente actuar como seu intermediário, pegando no lixo de alto valor das outras lojas e vendendo-o depois a um preço mais elevado. Ou pode emprestar dinheiro ao gestor do site para lhe fazer amizade e denunciar o supervisor tirânico …

Hora 3: O drama quotidiano agarra-se

Esta esperteza de adquirir cada vez mais conhecimento e influência, de esgotar tudo, é a grande arte de sobrevivência com que até as situações mais perigosas podem ser geridas, como esta: São 20 horas e ainda faltam 120 dólares para o próximo pagamento ao agiota.

Uma vez que não há mais trabalho, assumimos o risco e atiramos algumas notas para a máquina de jogo. Depois roubamos mais duas baterias de scooters (sem sermos apanhados) e vendemo-las ao colector de sucata.

(Há muitas oportunidades interessantes à sua espera na cidade. Por exemplo, uma reunião de cidade onde são discutidos rumores interessantes
(Há muitas oportunidades interessantes à sua espera na cidade. Por exemplo, uma reunião de cidade onde são discutidos rumores interessantes

O dinheiro está junto, o agiota está satisfeito e há mesmo o suficiente para uma única sala. Banhados e motivados, o nosso personagem pode dormir tranquilamente nessa noite. Mas depois aparece a nossa irmã, com um dote roubado de 20.000 yuan.

O que é que fazemos agora? Devolvemos o dinheiro ou queremos usá-lo como base para um negócio multiplicá-lo? Nestes momentos o jogo funciona de forma brilhante, nestes momentos o aspecto da sobrevivência faz-se sentir, nestes momentos pensamos nós: Qualquer coisa é possível porque somos os únicos que sabemos como.

(O sonho de ter a sua própria casa e a sua própria televisão. Algum dia poderá tornar-se realidade)
(O sonho de ter a sua própria casa e a sua própria televisão. Algum dia poderá tornar-se realidade)

Hora 4: A monotonia ataca!

Mas por mais envolvente que a campanha seja ao apresentar todos os altos de Nobody – The Turnaround, mostra também todos os seus baixos. O que é particularmente lamentável é que uma vez terminada a campanha e finalmente ganho o modo sandbox, exactamente a mesma jogabilidade espera-nos lá sem quaisquer surpresas.

O modo Challenge, por outro lado, acrescenta um novo nível de dificuldade. Mas uma vez entendido o princípio básico após três dias de jogo, o que corresponde a cerca de três a quatro horas, o jogo é mais ou menos jogado através.

M

Quando os primeiros obstáculos são ultrapassados e o dinheiro flui obedientemente para a caixa, não há mais perigo ou desafio. O que se segue é uma monotonia aborrecida. Para isso, o jogo tem muito poucas fontes de perigo em comparação com Esta Guerra da Mina e muito poucas possibilidades de interacção para uma vida normal em comparação com Os Sims.

O personagem vai trabalhar todos os dias, melhora as suas capacidades no seu tempo livre, vende algumas coisas no mercado – e como não há mais nada a fazer além disso, não há conversas, não há missões e tudo já foi explorado de qualquer forma, enviamo-lo imediatamente para dormir. Especialmente porque as actividades de lazer como tiro ao balão ou karaoke são todas divertidas apenas na primeira vez e só depois desperdiçam dinheiro.

(Quanto mais competências melhorar, melhores empregos poderá obter. Ontem segurança, amanhã talvez técnico informático)
(Quanto mais competências melhorar, melhores empregos poderá obter. Ontem segurança, amanhã talvez técnico informático)

E depois é: no dia seguinte, o mesmo procedimento. É claro que o jogo tem como objectivo final – possuir uma cobertura de luxo como proprietário de um restaurante em algum momento – como uma cenoura tentadora, mas isso significa apenas muitos mais dias de moagem. Em seguida, o personagem vai para uma formação complementar e responde a duas perguntas por dia até ter de responder correctamente a todas as perguntas no exame final para obter o seu certificado. E para quê? Para outro mini-jogo ou outro cutscene enquanto trabalha?

Após 5 horas: Que oportunidade desperdiçada!

Esta futilidade e falta de descarga é sentida numa situação em particular: ninguém nos dá a oportunidade de tirar muito dinheiro para os serviços de uma prostituta.

Eles retiram-se, o ecrã fica preto, nem sequer há ruídos lascivos, ele reaparece na rua e apenas diz calmamente: “Foi bom”. Sim, bom para si. Está bem, o seu humor melhorou um pouco, mas teríamos conseguido um efeito semelhante se tivéssemos passado a noite num apartamento fedorento. Ou tiro ao balão. Ou com animais de estimação de cães.

Toda a acção nos parece completamente inútil, simplesmente não importa. Talvez seja isso que o jogo nos está a tentar dizer. Mas se é isso que quer, deveria ter-se esforçado muito mais.

(Pode melhorar o seu humor com actividades recreativas como o tiro ao balão)
(Pode melhorar o seu humor com actividades recreativas como o tiro ao balão)

No início, Nobody – The Turnaround parece insanamente complexo e vivo. Parece que em cada esquina pode haver um novo encontro, um novo desafio à espera, uma nova oportunidade à espreita para jogar ainda mais inteligente.

Mas depois dos primeiros diálogos, que também não têm muito impacto no jogo, estes elementos aleatórios desaparecem completamente e todos os potenciais efervescentes, deixando apenas um cenário bonito sem possibilidades de interacção. Uma vez há ociosidade no jogo, a outra falta de pistas.

Para Ninguém – A Turnaround não tem, na sua maioria, tutoriais ou guias para nos ajudar com os nossos planos ou ideias. Assim, muitas vezes não é claro o que é sequer possível e como é possível. Isto leva frequentemente a tentativas frustrantes de julgamento e erro, que são punidas por termos de repetir dias inteiros, porque o jogo não permite a própria salvação.

/E

Resta saber como o criador U.Ground Game Studio irá agora proceder e quando irão disponibilizar o jogo para venda novamente. Na nossa versão, apenas uma das três campanhas era jogável, mais a caixa de areia e os modos de desafio. Actualmente, o jogo carece não só de características, mas também de complexidade. Especialmente porque a ideia básica de que cada jogador poderia encontrar a sua própria estratégia de sobrevivência não é perceptível neste momento e tudo se resume, de alguma forma, à mesma coisa. No início não é Esta Guerra da Minha, no fim não é Os Sims.

Caixa de Pontuação Preliminar

Conclusão editorial

Even embora eu estivesse muito ansioso pela simulação de sobrevivência, estou um pouco desapontado. O grande aha no início do jogo foi seguido de um okay cada vez mais calmo à medida que o jogo avançava. Pode muito bem ser que Ninguém – O Turnaround começou o seu Early Access demasiado cedo. Ou talvez o promotor ainda esteja a reter todos os aspectos promissores – haverá mais características de crime em algum momento, por exemplo?

Tudo isso está nas estrelas, mas o que temos neste momento é um jogo que dá pistas de mais complexidade e possibilidades do que realmente tem. De vez em quando desejava descobrir algo fresco ou que algo novo me despistasse, mas depois de apenas alguns dias de jogo, já transformei um simulacro de sobrevivência numa dura simulação económica. Que pena.

Stephan
Stephan
Idade: 25 anos Origem: Bulgária Hobbies: Jogos Profissão: Editor online, estudante

RELATED ARTICLES

Como um Dragão: Ishin! mostra um combate brutal em novo trailer

O novo trailer para Like a Dragon: Ishin! dá os primeiros conhecimentos sobre o sistema de combate. Isto acaba...

Não aprendido com erros – Odiei Pay2Win skin agora também em Warzone 2.0

Outra pele que torna os jogadores quase invisíveis na Warzone 2.0: A pele de operador pago de LA Thieves...

Ilha Morta 2: A vitrina dos zombies chega para o Pai Natal

Na noite passada, os estúdios Deep Silver e Dambuster anunciaram o showcase da Ilha Morta 2. Nele, podemos esperar...