A AMD quase chegou ao fim em 2014: Como o PlayStation 4 salvou a fabricante

0
9

Sem a consola da Sony, provavelmente não existiria mais AMD

A PS4 foi lançada há pouco mais de uma década. A consola não foi apenas um marco para a Sony – a AMD também beneficiou muito do seu sucesso.

É por isso que é importante:A Playstation 4 é um dos jogos mais vendidos do mundo de todos os tempos: Em abril de 2024, foram vendidas mais de 117 milhões de unidades (viaStatista).

Este sucesso provavelmente também era desesperadamente necessário para o fabricante de chips AMD salvar a empresa da falência.

Em pormenor:Uma captura de ecrã do perfil do LinkedIn de Renato Fragale, que trabalhou como “Sr. Manager Product Development Engineering” na AMD entre 2012 e 2014, apareceu no X/Twitter.

    No mesmo fôlego, Fragale explica que este sucesso significou que a AMD foi capaz de “evitar a insolvência”.

Os anúncios de resultados anuais da empresa falam uma linguagem semelhante neste contexto.

Classificação: Medida que salva vidas até ao big bang

A Playstation 4 ainda não era o salvador que o Fragale fez parecer

Como se pode ler no relatório financeiro de 2014, acima referido, apesar do aumento das vendas, registou-se um prejuízo líquido significativamente mais elevado de 403 milhões de dólares americanos.

  • Nos anos que se seguiram, a AMD também ficou no vermelho até 2016, inclusive.
    É provável que o sucesso da Playstation 4 (e também da Xbox One, que também dependia de uma APU AMD) tenha contribuído para manter a empresa à tona.

Não só isso: a AMD conseguiu dar bom uso às muitas unidades vendidas e ao dinheiro associado para um projeto atualmente em desenvolvimento. A empresa estava a trabalhar nos processadores Zen desde 2012.

Assim, de certa forma, as consolas são responsáveis por dar aos jogadores de PC uma fantástica escolha de CPUs atualmente.

Pelo menos temos a certeza de que, sem o sucesso da Playstation 4, não teria havido AMD – e certamente não haveria CPUs Ryzen.